Vice-governador reforça decisão da Gestão sobre o retorno das aulas presenciais a diretores de escolas particulares de Palmas

O vice-governador do Estado do Tocantins, Wanderlei Barbosa, reuniu-se na tarde desta sexta-feira, 14, no Palácio Araguaia, com diretores de escolas particulares de Palmas, onde reforçou a decisão do governador Mauro Carlesse em retomar de forma gradual as aulas presenciais no Estado do Tocantins. O retorno das atividades escolares será de modo gradual e com 50% da capacidade de ocupação das salas de aulas. O decreto detalhando as medidas será publicado no Diário Oficial do Estado, edição desta sexta-feira, 14.

“Nós levamos em consideração a diminuição do número de infectados, de internações e a ampliação de mais leitos em municípios do Estado.E as escolas já estão com dificuldades financeiras e existe também uma consciência social. Todos já usam máscaras de maneira espontânea, por exemplo. As crianças já sabem disso, têm que usar o álcool em gel. Fazendo tudo isso, dá para fazer esse retorno de modo gradual, sem prejuízos. Temos que estabelecer normas e trabalhar, porque as escolas não conseguem mais segurar essa situação”, afirmou Wanderlei barbosa.

Diretor de uma escola privada na Capital, Enock Cabral afirmou que muitas instituições cortaram mais de 40% dos funcionários e têm um endividamento de mais de 200%. “Podemos pensar em alternativas para não fechar as escolas como outros países fizeram”, afirmou o diretor.

Em defesa das escolas, o pediatra André Pansutti, também membro da Sociedade Brasileira de Pediatria, afirmou que as crianças estão protegidas em casa e dentro das escolas que estão preparadas para recebê-las. “Estudos mostram que, com escolas preparadas, conseguimos voltar e mantê-las abertas com restrições e limitações mesmo frente a possíveis novas ondas, pois não temos como prever o retorno da normalidade”, pontua o pediatra André Pansutti, levando em consideração a saúde mental e física das crianças fora da sala de aula.“Temos transtornos de comportamento sendo potencializados, déficit de aprendizagens e transtornos nutricionais. Ela está protegida do novo Coronavírus, mas sofrendo as custas desse isolamento e do distanciamento”, concluiu o médico.

Presença

Estavam presentes na reunião, os secretários-executivos da Casa Civil, Sebastião Neusim; da Saúde (SES), Quesede Ayres; a superintendente de Vigilância em Saúde da SES, Perciliana Bezerra; a diretora de Educação Básica da Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes, Larissa Ribeiro; o secretário de Finanças de Palmas, Rogério Ramos; além de diretores de escolas privadas.

Edição: Alba Cobo

Revisão Textual: Marynne Juliate

Brener Nunes/Governo do Tocantins

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *