POLINTER prende seis pessoas em um único dia e chega à marca de 200 prisões em 2022

A mulher foi presa na sua residência na Comunidade Indígena do Macaco

A equipe da Polinter (Delegacia de Polícia Interestadual) avança nas ações, visando o cumprimento de mandados de prisão deferidos pela Justiça no Estado. Nesta terça-feira, (02), foi atingida a marca de 200 mandados de prisão cumpridos, após a prisão de seis pessoas em um único dia.

Os agentes da POLINTER (Delegacia de Polícia Interestadual), com apoio do DOPES (Departamento de Operações Especiais) localizaram e prenderam uma mulher, 35 anos, acusada pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico.

Contra ela havia um mandado de prisão decorrente de sentença penal condenatória expedido pela Vara de Entorpecentes, a qual foi sentenciada de forma definitiva à pena de 10 (dez) anos, 11 (onze) meses e 20 (vinte) dias de reclusão em regime inicialmente fechado.

Ela foi presa na sua residência na Comunidade Indígena do Macaco na Zona Rural do Município de Normandia e foi colaborativa com a ação policial e não resistiu à prisão. A mulher foi recambiada para a capital e levada à sede POLINTER.

A segunda prisão ocorreu no bairro Caranã. Um autônomo, 22 anos, acusado pelo crime estupro de vulnerável. O mandado de prisão contra ele foi expedido pela Vara de Crimes Contra Vulneráveis. Ele foi condenado 6 (seis) anos de reclusão, em regime semiaberto.

A terceira prisão foi de um autônomo, 40 anos, e ocorreu no bairro Canarinho. O homem foi preso após registrar um B.O (Boletim de Ocorrência) na DAT (Delegacia de Acidentes de Trânsito), quando foi verificado que tinha contra ele um mandado de prisão expedido pela 2ª Vara da Família, por não pagamento de pensão alimentícia.

Um outro autônomo, 27 anos, foi o quarto preso. Contra ele havia um mandado de prisão expedido pela 1ª Vara Criminal, condenado em regime semiaberto, a pena de 5 (cinco) anos e 10 (dez) meses pelo crime de roubo.

A quinta prisão ocorreu no bairro São Vicente. Um homem, 35 anos, com mandado de prisão expedido também pelo não pagamento de pensão alimentícia.

A sexta prisão foi de um chapeiro, 27 anos. Ele foi preso no bairro São Vicente. Contra ele havia um mandado de prisão expedido pela 1ª Vara Criminal, pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico de drogas. O chapeiro foi condenado a 16 (dezesseis) anos de prisão em regime fechado.

De acordo com o diretor do DOPES (Departamento de Operações Especiais), delegado Maurício Nentwig, com o cumprimento desses mandados de prisão a equipe da POLINTER, subordinada ao DOPES, cumpriu a marca de 200 mandados de prisão. E destacou que a equipe também está atuando integrada a Operação do Governo Federal, Hórus/Guardiões das Fronteiras.

“Temos uma equipe de policiais motivada, que trabalha em parceria com as mais diversas unidades policiais da Capital e do Interior, o que tem contribuído ainda mais para que possamos cumprir a nossa missão”, destacou.

Todos os presos, após trâmites formais, foram submetidos a exame de integridade física no IML (Instituto de Medicina Legal) e, por fim, encaminhados para a Custódia da Polícia Civil.

A Polícia Civil reforça que, qualquer pessoa que tenha informações sobre o paradeiro de foragidos da justiça poderá noticiar através dos telefones 197 e celular (95) 98414-0249, diretamente com a POLINTER, sendo assegurado o anonimato da fonte.

Polícia Civil RR

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.